Vigilância com cães: saiba como funciona e suas vantagens

Vigilância com cães. Saiba como funciona e quais são as vantagens da vigilância com cães.

Com o crescente aumento da violência no Brasil, pessoas físicas e jurídicas têm procurado diversos meios para garantir sua segurança. Eles vão desde a instalação de alarmes, monitoramento, câmeras, cercas elétricas e outros aparatos tecnológicos. E, para garantir um reforço positivo e eficaz no combate à furtos, roubos e outros danos em patrimônios, há a opção de vigilância com cães de guarda é uma realidade principalmente em áreas com grandes extensões, como as de indústrias, por exemplo.

Se você chegou até aqui, muito provavelmente seja porque quer saber mais sobre a atuação dos cachorros na segurança e seus benefícios. Acertamos? Então não deixe de acompanhar o nosso post!

Vantagens da vigilância com cães

Contar com cães para auxiliar a segurança privada faz uma grande diferença, pois traz uma série de características distintas e complementares às humanas. Conheça algumas delas:

Alerta constante

Os cães, por natureza, possuem um olfato muito mais desenvolvido do que o ser humano. Para se ter uma ideia, enquanto temos cerca de 5 milhões de receptores de odor, eles contam com uma média de 200 milhões.

Além disso, captam vibrações sonoras de alta frequência e conseguem distinguir a variedade de sons que escutam. Enquanto nós ouvimos sons de até 20 quilohertz, os cachorros têm a capacidade de ouvir sons de até 60 quilohertz. Ou seja, estão em alerta o tempo todo, contando com sentidos mais apurados.

Efeito psicológico

Os cães, por si só, são capazes de despertar um efeito psicológico inibidor, de quem não tem nada a perder ao enfrentar um inimigo. Por isso, as chances de alguém mal intencionado desistir de invadir um local que conta com o serviço são bem maiores.

Motivação para vigilantes

Como o cão é bastante ativo, acaba despertando no vigilante a necessidade de se movimentar também, e sendo uma boa companhia para as caminhadas necessárias em áreas de grandes extensões.

Proteção aos profissionais

Além de oferecerem mais segurança aos vigilantes, os quais muitas vezes passam noites em situações de risco, por exemplo, a vigilância com cães traz uma sensação de tranquilidade e proteção aos profissionais e também amenizam a sensação de solidão.

Vigilância desarmada

Há quem tenha receio de contratar uma segurança armada para proteger seu patrimônio, seja por aumentar o risco de perigo para terceiros ou por ser um atrativo para ações criminosas de furto das armas. O cão, considerado uma “arma não letal”, não oferece esse perigo.

Atuação dos cães na segurança privada

Os cães podem atuar em postos fixos de vigilância, nas atividades de ronda a pé ou motorizada e na identificação e busca de possíveis invasores. Eles são indicados para:

Patrulhamento ostensivo

Nesse caso, os cachorros são de propriedade de empresas privadas e têm como principal característica o trabalho com acompanhamento de um vigilante habilitado.

Eles são treinados para responderem com agressividade em determinadas situações, como tentativas de assaltos e sequestros e também terem um ótimo comportamento social. Dessa forma, podem transitar tranquilamente entre desconhecidos, pois não causam danos não controlados e não orientados por seu condutor.

Durante sua ação a principal característica é imobilizar o intruso sem uso excessivo de força, para que contratante e contratada não tenham maiores problemas, como prejuízos jurídicos e financeiros.

Vigilância de perímetro

Os cães de vigilância de perímetro são adestrados para atuar em galpões, fábricas, transportadoras e centrais de distribuição. Seu trabalho não necessita de acompanhamento e é realizado fora dos horários de expediente.

Seu treinamento é baseado em deter intrusos sem necessidade de ordens.  Por terem um treinamento mais agressivo, somente a equipe do canil, sem exceção, deve ter acesso a eles.

Além do trabalho de mordida, o cão também é treinado para recusar alimentos oferecidos por terceiros, pois podem sofrer tentativas de envenenamento.

O que diz a lei

A vigilância com cães é regulamentada no Brasil pela Portaria 387/2016, do Departamento da Polícia Federal. É ela que estabelece normas e faz a fiscalização da segurança privada em todo o País.

Por isso, para que o serviço seja realizado de forma legal, devem ser seguidos alguns procedimentos. São eles:

  • todo cão de segurança deve estar acompanhado por um vigilante habilitado;
  • as empresas que oferecem o serviço devem ter autorização de funcionamento e certificado de segurança válido;
  • os cães devem ser adestrados por profissionais certificados em curso de cinofilia e serem de propriedade de empresas de segurança, canil de organização militar ou particular;
  • quando estiver em serviço, o cão deve estar vestindo peitoral de pano com o nome e logotipo da empresa;
  • os cães não podem atuar em interiores, exceto nos horários em que não houver atendimento ao público.

As raças mais utilizadas para a vigilância são o pastor alemão, pastor belga, rotweiller, doberman, fila brasileiro, cane corso, dogue brasileiro e mastim napolitano. O treinamento para a guarda pode ser feito quando o cachorro estiver com um ou dois anos de idade.

No momento de contratar o serviço, é importante verificar se a empresa está com as documentações em dia, se os cães são treinados por profissionais habilitados e se as condições de vida dos animais estão adequadas, para que não se tornem agressivos a ponto de causarem acidentes.

Esperamos que nosso artigo tenha ajudado você a compreender melhor a atuação da vigilância com cães e seus benefícios.

O Grupo Pro Security disponibiliza o serviço de vigilância com cães. Se esta é sua necessidade ou se deseja obter mais informações, clique aqui.

Não há comentários, Seja o primeiro!

Seu endereço de e-mail não será publicado.