Segurança particular: tudo o que você precisa saber

Segurança Particular Segurança particular ao lado do carro

Com a crescente violência no Brasil e a impossibilidade de o Estado zelar pela proteção de todos, é cada vez mais necessária a contratação de uma segurança pessoal privada ou como é comumente chamada, segurança particular. Isso pode ser feito por pessoas públicas e suas famílias, executivos, testemunhas e qualquer um que sinta a necessidade de contar com o serviço em determinadas situações.

Mas afinal, do que se trata a função? Na prática, um profissional ou empresa de segurança privada é contratato para preservar a integridade física e moral das pessoas por meio de diversas ações, atitudes e comportamentos.

Apesar de ainda ser considerado um artigo de luxo ou falta de privacidade por muitos é, na verdade, uma forma de proteger o próprio indivíduo, sua família e patrimônio e fazer com que pessoas visadas de alguma forma sintam-se mais seguras em seu dia a dia.

Situações em que a segurança particular atua

Um segurança particular deve atuar em todas as situações que envolvam a proteção dos clientes. Os principais riscos que esses correm são:

  • furto;
    ●roubo;
    ●tentativa de sequestro;
    ●espionagem:
    ●chantagem;
    ●sabotagem;
    ●acidentes;
    ●agressões físicas e morais.

Sua atuação depende de cada situação. Os seguranças podem ficar tanto visíveis, como durante eventos públicos, para causarem uma presença intimidadora, quanto no caso de celebridades, por exemplo, em que o serviço deve ser mais discreto e a ação ponderada para que não haja excessos.

Na maioria das vezes o profissional se encontra armado, mas também deve ter preparo físico e treinamentos em artes marciais, como o Aikido, para o caso de precisar agir.

Principais táticas utilizadas

A segurança pessoal privada é composta de uma série de táticas. Confira duas delas:

Segurança em veículos

Essa ação é realizada quando há deslocamento por parte do cliente. Um carro de apoio, com uma equipe, segue fazendo escolta do veículo em questão. Em muitos casos, os carros são idênticos para confundir os bandidos e, no caso de um ataque, esse é despistado e atacado pelos seguranças enquanto o cliente ganha tempo e foge.

Muralha humana

Nesse caso, um trio de seguranças forma um “V”, de forma a ter uma visão de 180º da frente e laterais do cliente. Eles ficam com o paletó desabotoado para o caso de precisarem sacar a arma.

Caso surja um agressor, os guarda-costas vão para a frente do cliente, de modo a protegê-lo. O segurança particular que fica atrás é o único que pode ter contato físico com o cliente e usa técnicas de artes marciais para mantê-lo seguro.

O objetivo nesse caso é conter o bandido enquanto o segurança, chamado de “mosca” e permanece atrás do cliente, o leva para longe.

Objetos que um segurança particular deve portar

Como a segurança pessoal privada deve enfrentar os mais diversos tipos de ações que ofereçam risco ao cliente, é necessário que os profissionais portem alguns objetos que os ajudam na hora de tomar determinadas atitudes. Veja quais são eles:

  • terno para situações formais e roupas esportes no caso de o cliente vestir o mesmo;
  • lanterna, a qual pode ser usada para verificar algo suspeito ou auxiliar em possíveis fugas;
  • canivete suíço para ser utilizado em diversas atividades, como cortar cordas;
  • óculos escuros para que não se veja para qual ângulo o segurança está olhando;
  • colete à prova de balas para a própria proteção;
  • rádio para comunicação com a equipe;
  • munição reserva estrategicamente localizada.

Principais cuidados na hora de contratar

Agora que falamos sobre o conceito, a atuação dos profissionais e outros detalhes chegou o momento de mostramos quais são os principais cuidados na hora de contratar uma empresa que disponibilize o serviço de segurança pessoal:

Verificar o histórico da empresa

A primeira providência a ser tomada é levantar informações sobre a empresa, sua documentação, o histórico de atuação quem são os profissionais e se os serviços oferecidos são os esperados.

Analisar os clientes

Ninguém melhor do que os próprios clientes de uma empresa de segurança para avaliar sua competência e seriedade. Por isso, procure saber quem são eles e, assim, verifique o seu real potencial.

Saber se a empresa está de acordo com a lei

Para uma empresa trabalhar com segurança pessoal, é preciso que esteja em dia com as obrigações legais, inclusive com a Polícia Federal. Por isso, procure saber se o alvará da empresa está em dia, se ela possui documentação emitida pelos órgãos responsáveis e se os funcionários estão com a reciclagem em dia.

Verificar se há autorização para porte de armas

Independentemente se o segurança particular irá ou não necessitar de armas, é indicado saber se a empresa possui registro na Polícia Federal, assim como se os colaboradores têm autorização para porte.

Custo

Sabemos que o custo é um dos itens importantes na hora de contratar uma empresa. Mas, a dica é analisar essa questão depois de verificar todos os itens acima.

Pois, de nada adianta optar por uma empresa que ofereça o serviço mais em conta, se os profissionais não estão devidamente regularizados e habilitados.

Na hora de proteger a própria vida, a da família e o patrimônio conquistado, vale a pena abrir mão da privacidade em certos momentos e realizar um investimento, afinal de contas algumas situações infelizmente, podem não ter volta.

Essas informações foram úteis para você? Lembre-se toda tecnologia e investimento depende principalmente dos homens que desempenharão a atividade. Confira aqui algumas dicas adicionais

Não há comentários, Seja o primeiro!

Seu endereço de e-mail não será publicado.