Proteção perimetral: tudo o que você precisa saber

Proteção Perimetral Saiba tudo sobre proteção perimetral!

Proteção perimetral é uma técnica de segurança patrimonial que tem por objetivo proteger a área estabelecida utilizando equipamentos como cercas – elétricas ou não, sensores de infravermelho – com o objetivo de dificultar, impedir ou alertar contra o acesso de invasores. 

Quer proteger sua residência, empresa ou condomínio contra invasões? O sistema de proteção perimetral é utilizado justamente com essa finalidade: inibir e detectar a presença de intrusos nas áreas perimetrais. Para isso, comumente são instaladas cercas elétricas, sensores de infravermelho, etc

Como funciona a proteção perimetral?

Antes de explicar o que é proteção perimetral precisamos fazer uma pergunta: você sabe a diferença entre cerca elétrica e concertina?

Então, vamos explicar:

Cercas elétricas:  mais comumente produzida com arame de aço macio, são projetadas para criarem um circuito elétrico quando tocadas por animais ou por uma pessoa, gerando um a descarga elétrica de 12 volts, que pode provocar efeitos que podem ir do desconforto e até mesmo dor.  E pode ser instalada com várias configurações – com 2, 4, 6 ou 8 fios.

Concertina: também conhecida como proteção perimetral perfurante é uma cerca no formato espiral, produzida em aço do tipo galvalume e fabricada com lâminas cortantes e pontiagudas. Por ser constituída em material resistente, é muito difícil de ser burlada. Ela pode ser simples, dupla, flat, pintada ou eletrificada.

Além dessas duas maneiras mais conhecidas de montagem de uma proteção perimetral, é possível também desenvolvê-la com sensores ativos infravermelhos (IVA), sensores ativos de micro-ondas, cabos sensores do tipo microfônico e eletromagnético e fibra óptica.

Sensores ativos de infravermelhos (IVA): Esse modelo de sensor é muito utilizado na proteção perimetral da segurança patrimonial. São projetados feixes de luz infravermelha entre dois pontos, sendo um emissor e o outro receptor. Se alguém tentar passar pelo muro, os sensores são ativados e enviam um sinal diretamente para o alarme, tornando esse método eficaz para manter a segurança.

Sensores ativos de micro-ondas: Com sensores de micro-ondas, utilizam uma tecnologia de fibra ótica e um processamento inteligente que detecta movimentos, podendo conter também sensores microfônicos e eletromagnéticos. É composto por três partes contendo emissor, receptor e circuito que analisa os sinais do ambiente. Ele é recomendado para áreas externas.

Alguns desses dispositivos trabalham diretamente ligados à uma central de alarme, criando uma ou várias zonas de monitoramento, dependendo do comprimento do muro, as quais buscam facilitar a identificação de possíveis eventos e alertar a empresa de segurança.

Os sistemas perimetrais trazem ainda mais segurança se forem interligados com uma plataforma unificada de circuitos fechados de televisão (CFTV), que promovem o acionamento automático de câmeras móveis. Há, ainda, a possibilidade de automação, a qual possibilita o acionamento automático de iluminação, por exemplo.

Cuidados na instalação de cercas elétricas

As cercas elétricas são consideradas um meio seguro e acessível para a proteção perimetral. Porém, para sua instalação, é necessário respeitar algumas particularidades. Apesar de não haver uma altura padrão a ser utilizada, pois isso varia segundo a legislação de cada região, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) diz que essa altura deve ser de no mínimo 2,20 metros de altura em relação ao terreno quando não há uma barreira de proteção entre a cerca e as pessoas.

Além disso, segundo a associação, é obrigatório que, no local onde for instalada uma cerca elétrica, haja placas informando a presença do equipamento. O número de placas e a distância entre elas também depende de normais locais.

Saiba tudo sobre a nova legislação para cercas elétricas, clicando no link.

Como implantar a proteção perimetral?

Antes de implementar sistemas de proteção perimetral, é necessário considerar alguns aspectos para que ela seja eficiente. Veja quais são eles:

Orçamento disponível e restrições

A primeira coisa a ser analisada antes de contratar sistemas de proteção perimetral é o orçamento disponível. No caso de condomínios ou outras situações que dependem da aprovação de terceiros, é importante frisar estar atento a qualidade dos equipamentos e ter como base uma detalhada análise de riscos.

Depois disso, deve-se verificar quais as restrições do local. Por exemplo, muitas vezes não é possível impactar fachadas de condomínios ou empresas com barreiras físicas agressivas, como é o caso das cercas elétricas concertinas, as quais podem afetar a identidade visual ou a arquitetura dos locais, ou instalar sensores infravermelhos onde há vegetação.

Análise de riscos e definição de barreiras

A partir do orçamento e das restrições do local, o próximo passo é realizar uma análise de riscos, envolvendo a criminalidade no entorno e os pontos mais vulneráveis, por exemplo. Também é interessante avaliar o nível de segurança da vizinhança, pois, no caso de um vizinho contar com um sistema de segurança perimetral nos muros de interface, por exemplo, não há motivos para incluir outro.

Contratar empresas especializadas

Para garantir que a proteção perimetral do seu patrimônio seja realmente segura e eficiente, é importante que sejam contratadas empresas especializadas, as quais sejam autorizadas e certificadas pela Polícia Federal. Além disso, elas devem contar com profissionais habilitados e equipamentos modernos e duráveis.

Esperamos que esse artigo tenha sanado suas dúvidas iniciais sobre proteção perimetral.  Mas recomendamos a leitura do texto sobre Projeto de Segurança Patrimonial, dessa forma, ficará mais tranquilo para  identificar qual a solução mais adequada para sua necessidade. Tem alguma dúvida? Entre em contato conosco.

Não há comentários, Seja o primeiro!

Seu endereço de e-mail não será publicado.