Síndicos profissionais: prós e contras para seu condomínio

Síndicos profissionais Leve em conta o custo-benefício e avalie a necessidade de contratar síndicos profissionais

Segundo o SECOVI, o Brasil possui 190 mil condomínios, 40 mil apenas na cidade de São Paulo. Essa expansão do mercado imobiliário, alta de 16% no último semestre, segundo levantamento do Estadão/Broadcast, gerou um crescimento na procura por síndicos profissionais. Contratados para realizar a administração predial, porém sem residir nos locais, os prestadores desse serviço realizam um serviço profissional terceirizado.

Essa nova função suscitou um debate em diversos condomínios sobre as vantagens e desvantagens de contratar uma pessoa especifica para a função, em vez de recorrer ao síndico tradicional, que habita o local em que vai realizar a gestão condominial.

Inúmeras dúvidas surgem no momento da escolha entre as duas categorias de síndico e algumas variáveis devem ser levadas em contas para fundamentar essa decisão, que deve ser tomada em âmbito coletivo por todos os moradores.

As vantagens de contratar síndicos profissionais

Ao selecionar um profissional para cuidar da gestão do condomínio, ele se torna um prestador de serviços e deve ser uma pessoa extremamente capacitada e experiente no assunto para garantir um serviço eficiente e de qualidade.

Diversos condomínios possuem complexidades e grandes responsabilidades pelo alto número de moradores. O síndico morador muitas vezes acumula a função com suas atividades profissionais, que consomem o tempo necessário para gerir um empreendimento residencial de forma adequada.

Ao contratar um síndico, o relacionamento profissional estabelecido com moradores e funcionários demanda uma gestão criteriosa e capacitada para o condomínio, ele será o representante legal do local.

Os problemas serão solucionados como em uma empresa, portanto não há uma relação emocional do profissional e os moradores podem cobrá-lo para desempenhar seu papel sem constrangimento e desconfortos de serem vizinhos ou de uma eventual demissão de um morador do cargo de síndico.

Reuniões para planejamentos e prestações de contas devem ser obrigatórias para uma administração transparente de recursos frente ao conselho de moradores de um condomínio. A experiência de síndicos profissionais contribui para a negociação e fiscalização com os fornecedores e prestadoras de serviços.

Desvantagens

O condomínio deve sempre fazer uma análise minuciosa do custo-benefício para a contratação de um síndico profissional e avaliar a necessidade. Por não ser um morador, ele terá um custo mensal e os valores do condomínio se elevam com mais um salário na folha de pagamentos.

O síndico profissional não acompanha as situações cotidianas vivenciadas internamente e tem uma menor proximidade com os moradores para a mediação de conflitos, pois não reside dentro de uma unidade de um prédio ou condomínio.

Um síndico morador pode mais facilmente identificar os problemas por conhecer a rotina do prédio. Ter alguém que mora dentro de um condomínio como síndico facilita algumas ações do dia-a-dia por sempre ter uma pessoa disponível para agir em casos de imprevistos aos finais de semana e na resolução de pequenos problemas e conflitos.

Não há comentários, Seja o primeiro!

Seu endereço de e-mail não será publicado.