Invasão de condomínio – Fique atento!

Invasao de condominio

O jeito de invadir condomínios mudou. Você se lembra dos famosos arrastões?

A Invasão de condomínio era feita por grandes quadrilhas, formadas por até 15 bandidos, fortemente armados usando vários veículos, todos roubados. Um dos meliantes rendia a portaria e, em seguida, liberava a entrada do restante da quadrilha, normalmente pela garagem e em mais de um veículo. Depois assumiam os postos da segurança e todo morador que chegava era rendido e preso em local pré-determinado sob forte ameaça, enquanto o restante da quadrilha saqueava os apartamentos. Durante a fuga, se houvesse resistência, pegavam moradores como reféns para servirem de escudo humano numa eventual troca de tiros com a polícia.

Hoje em dia tudo isso mudou, não são mais as grandes quadrilhas que fazem a invasão de condomínio, não utilizam armamento pesado, não entram mais pela garagem, não utilizam veículos roubados para fuga, não rendem os moradores na sala do zelador, não fazem reféns, etc. Agora eles entram e saem pela portaria social, à luz do dia e com a liberação do funcionário da portaria.

Atualmente o maior número de furtos a condomínios tem sido praticado por pequenas quadrilhas, espertos e astutos, aproveitam-se da falta de atenção e das falhas do pessoal da segurança para entrar e sair do condomínio sem chamar a atenção. Esse número tem aumentado assustadoramente nos últimos dois anos, só na região central da cidade de São Paulo, foram registrados mais de 40 ocorrências de Janeiro a Agosto desse ano.

Como é feita a invasão de condomínio atualmente

Agora os crimes são praticados geralmente por adolescentes, de boa aparência e bem vestidos que estudam as falhas de segurança no acesso dos pedestres e agem. Geralmente, chegam falando ao celular e agem como se fossem moradores, já chegam colocam a mão no portão e já dá uma forçadinha no portão.

Aqui vale um parêntese para um alerta para porteiros e condôminos: todas as pessoas devem ser identificadas antes de acessar o condomínio, inclusive, visitantes quando entram com moradores. A atitude pode até gerar algum incômodo, mas preserva a segurança de todos.

Depois de acessar o condomínio seguem até um determinado andar alto, e vai descendo os andares pela escada de emergência e seguem para um apartamento já identificado, ou toca a campainha e ao perceber que ninguém atende, determina que aquele será o furtado.

Depois de furtarem tudo o que desejam, sai pela porta da frente carregando mala ou mochila e, novamente, falando ao celular.

Aqui fica mais um alerta aos moradores, ao sair da sua unidade por um longo período, desligue a campainha.

Aos profissionais de portaria e segurança é valido ressaltar que todas as pessoas devem acessar o condomínio apenas após a identificação, independentemente, do perfil da pessoa ou se a mesma está muito ocupada como, por exemplo, conversando ao celular.

Aos gestores do condomínio é sempre válido lembrar-se da importância do treinamento dos profissionais da equipe para constante atualização, inclusive, das modalidades de ação dos bandidos.

Além disso, a contratação de empresa séria que atualiza com frequência os seus profissionais e o estabelecimento de procedimentos de segurança claros, conhecidos e seguidos por todos, inclusive, moradores, é essencial para evitar problemas.

Regra simples:

 “Não identificou, não conhece, não entra”.

Não há comentários, Seja o primeiro!

Seu endereço de e-mail não será publicado.