CFTV: Entenda tudo o que é necessário, antes de contratar

CFTV

Sem dúvidas, uma das maiores preocupações dos brasileiros hoje em dia é com a segurança. E, por isso, é cada vez maior o número de pessoas físicas e jurídicas que aderem aos sistemas de segurança para suas residências, empresas ou indústrias. Entre eles, estão o CFTV, sigla utilizada para Circuito Interno de TV. Quer saber o que é e como funciona? Então acompanhe o nosso post!

O Circuito Fechado de TV é um sistema de monitoramento interno, o qual atua por meio de câmeras alocadas em locais estratégicos e que são conectadas a uma plataforma central, que mostra as imagens em tempo real por meio de monitores e também permite a gravação do que é filmado.

Na maioria das vezes, a utilização do CFTV se dá para o registro de problemas de segurança, vandalismo, comportamentos indevidos e outras ocorrências. Apesar disso, pode ser utilizado para outros fins, como os monitoramentos ambientais, viários, comportamentais, entre outros.

Sistema analógico e sistema digital

O Circuito Interno de TV pode se utilizar de dois sistemas, o analógico e o digital. O primeiro deles é utilizado desde a chegada dessa tecnologia e, com ele, câmeras analógicas são ligadas aos dispositivos centrais por cabos coaxiais, responsáveis pelo envio de sinal, e dessa forma as imagens são mostradas nos monitores.

Já o sistema digital possui uma qualidade de imagem bastante superior, pois nele são utilizadas câmeras com tecnologia IP, responsável por trafegar os dados de voz e vídeo em rede. Além disso, o sistema digital dispõe também das imagens de forma remota, por meio de monitores HD, celulares e tablets.

Atualmente, o sistema mais utilizado é o analógico, pois ainda é o mais tradicional e também custa um pouco menos. Porém, como dissemos, a tecnologia digital oferece mais qualidade de imagens e outras facilidades, justificando a relação custo-benefício.

Tipos de câmeras

São vários os modelos de câmeras de segurança disponíveis no mercado, mas elas podem ser agrupadas em fixas ou móveis, e com os sistemas analógico e digital, como citado acima.

As câmeras fixas podem ser divididas em:

  • pinhole: são câmeras muito pequenas, as quais possuem lentes do tamanho de uma cabeça de alfinete. São indicadas para locais onde os sistemas não podem ser vistos;
  • bullet: lente com formato cilíndrico e com sensor infravermelho;
  • dome: câmeras com formato arredondado, parecido com uma bolha. São bastante comuns no mercado;
  • box: como o nome sugere, são câmeras protegidas por uma caixa.

Já as câmeras móveis são divididas em dois formatos:

  • Pan-tilt: pouco utilizadas no varejo, são bastante comuns em estradas e rodovias. O modelo é uma caixa estilizada que proporciona movimentos horizontais e perpendiculares;
  • Speed Dome: esse modelo de câmera é indicado para trabalhos de segurança ostensiva, pois possui uma alta velocidade horizontal e taxa de zoom elevada.

Principais vantagens do CFTV

O primeiro benefício do Circuito Interno de TV, obviamente é a segurança. Com ele, é possível o monitoramento em tempo real durante as 24 horas por dia. Além disso, a presença de câmeras é um inibidor para a ação de vândalos e bandidos.

O CFTV, como dissemos, permite que as imagens sejam gravadas e, dessa forma, caso seja necessário analisar algum registro posteriormente, isso pode ser feito de forma simples, seja por meio de celulares, câmeras ou computadores.

É sempre válido lembrar que se faz necessária a gravação remota das imagens, para que a efetividade do investimento seja real. ´

Esperamos que o nosso post tenha ajudado você a conhecer alguns detalhes importantes sobre o CFTV para que, no momento de contratar algum dos sistemas disponíveis no mercado, possa estar mais seguro. Não deixe de acompanhar nossos outros artigos sobre segurança. Clique aqui para receber a nossa newsletter!

Não há comentários, Seja o primeiro!

Seu endereço de e-mail não será publicado.